Oficinas de geração de renda

Os portadores de esquizofrenia podem apresentar prejuízos na manutenção do auto-cuidado, das atividades diárias, do trabalho, do lazer, aprendizado, vida social e afetiva, relações interpessoais e vida independente, além de sofrer com o preconceito existente sobre a doença, impedindo sua participação integral na sociedade (Razzouk D, Shirakawa I. A evolução dos critérios diagnósticos da esquizofrenia. In: Shirakawa I, Mari JJ, Chaves AC. O desafio da esquizofrenia. São Paulo: Lemos Editorial, 1998).
As intervenções psicossociais visam a melhora dos sintomas e a prevenção de recaídas, bem como favorecer a funcionalidade em áreas como vida independente, relações interpessoais e trabalho (Mueser et al., 2004). As possibilidades de intervenções são numerosas e cada uma tem seu foco específico, uma das alternativas é o trabalho das oficinas de geração de renda.
As oficinas de geração de renda representam uma importante estratégia de suporte para suprir a necessidade de emprego e trabalho em um sistema de mercado cada vez mais competitivo em que o portador de esquizofrenia apresenta desvantagens para inserir-se ou adaptar-se.
A produção é comercializada no CPIP e em feiras de artesanato.


Oficina de geração de renda Técnica : MOSAICO
Profissionais responsáveis : voluntária professora Maria Guiomar Haak Presta e Voluntaria  professora  Helena Schroeder.












 
  















Oficina de geração de renda Técnica : COLAGEM
Profissional Responsável: voluntária professora Beatriz Boehr









  

  





Apoio:
         




Página no Facebook:  Projeto Vivendo e Reaprendendo

© Projeto Vivendo e Reaprendendo 2015